Paulo Roberto Segundo e os Signos no Hemisfério Sul da Terra Paulo Roberto Segundo e os Signos no Hemisfério Sul da Terra




HORÓSCOPO PARA O HEMISFÉRIO SUL (Astrologia Austral)

Estamos vivendo o ano 2006 D.C, de acordo com o Calendário Gregoriano.
 
Nesta época é quase impossível encontrar alguma pessoa que ainda não tenha recebido algum tipo de informação sobre Horóscopo, Signos, Astrologia, Ascendente...
 
Se perguntada, qualquer pessoa saberá dizer qual é o seu Signo; algumas saberão dizer qual é o seu Signo, o seu Ascendente e a sua Lua; e algumas outras serão bem versadas sobre o assunto, conhecendo todos os pontos de um Mapa Astral.
 
A Midia está repleta de informações sobre o assunto: jornais, rádios, revistas, livros, televisão e mais recentemente a internet divulgam diariamente horóscopos e dão as mais variadas dicas sobre como cada pessoa deve se comportar no dia-a-dia.
 
Existe uma variedade imensa de "software" no mercado, que faz todos os tipos de cálculos e interpretações astrológicas.
 
E existem várias pessoas que se dedicam integralmente ao trabalho de fazer Mapas Astrais para as mais variadas funções, sejam profissionais ou pessoais...
 
De acordo com os dados históricos, a Astrologia existe há aproximadamente 4 (quatro) mil anos;
de acordo com dados especulativos, ela existe há muito mais tempo e não há como definir uma data específica para o seu início.
 
Para algumas pessoas a Astrologia é apenas um negócio altamente rentável;
para outras ela é uma espécie de religião;
para outras ela é apenas uma "crendice";
para outras ela é uma "ciência"...

Antes de ser uma coisa ou outra, a Astrologia é um "fato".
 
Na ordem do Universo a Astrologia está colocada da seguinte forma:
 
- Todos nós, seres humanos, existimos em um Astro (a Terra), e a existência deste Astro depende da existência de vários outros Astros que dependem de vários outros Astros, sucessivamente...
 
Se a Terra é um Astro, e a se a sua existência depende da existência de vários outros Astros, tudo o que está na Terra está sob essa mesma dependência.
Se nós, seres humanos, nascemos e existimos na Terra, estamos por conseqüência natural na dependência de tudo o existe para manter a existência da Terra, ou seja, dos demais Astros.
E sendo assim, por nascermos e existirmos em um Astro, somos sem dúvida alguma "seres astrológicos".
E a Astrologia, propriamente dita, vem a ser a "arte ou ciência" que estuda as relações que estão estabelecidas entre a Terra e os demais Astros com o objetivo de descobrir como essas relações afetam a existência de cada um de nós.
Especula-se que esses estudos tenham começado há muito tempo (sem uma definição de data).
Os dados mais concretos que a história apresenta mostram que a Astrologia começou a ganhar o formato atual por volta do ano 2000A.C, quando os babilônicos descobriram as quatro Estações do Ano, e recebeu o seu "aperfeiçoamento" no século IV A.C, quando chegou à Grécia.
De lá para cá ela vem sendo sendo mantida quase com os mesmos padrões.
 
Quer tenham sido iniciados na Babilônia, ou em algum outro lugar anteriormente, os estudos astrológicos se espalharam por todas as partes da Terra e os seus conceitos iniciais foram mantidos em todos os lugares aonde eles chegaram.
 
Existe um detalhe, porém, que a Astrologia não tem considerado e que é de fundamental importância:
o fato de os dois hemisférios da Terra serem totalmente opostos.
 
Ao não considerar que os dois hemisférios da Terra são opostos, a Astrologia acaba considerando que as pessoas que nascem nos dois hemisférios estão sob as mesmas influências astrais, o que, definitivamente, não é verdade.
 
O que a Astrologia estuda é a influência dos Astros sobre a Terra, e todos sabem que essas influências são sempre duplas e opostas, diferentes nos dois hemisférios, segundo após segundo, grau após graus, enquanto a Terra executa o seu movimento de translação em torno do Sol.
 
Qualquer data do Calendário serve como exemplo do que acontece.
Hipoteticamente pode-se usar, por exemplo, o dia 21 de março, que a Astrologia considera como sendo a data do início do Ano Astrológico.
 
Uma simples análise do que acontece nos dois hemisférios da Terra nessa data é mais do que suficiente para se chegar à conclusão de que todas as influências que ela recebe são duplas e opostas:
no Hemisfério Norte começa a Primavera e no Hemisfério Sul começa o Outono (essa oposição se repete durante toda a translação da Terra, em todas as Estações).
 
Para saber se as influências dos Signos também são opostas nos dois hemisférios da Terra, basta considerar o seguinte:
cada Signo representa um período de uma determinada Estação do Ano e as Estações são opostas nos dois hemisférios.
 
A partir daí é só saber porque as Estações são opostas para saber porque os Signos também são opostos...
e isso está explicado detalhadamente no nosso livro e no nosso Site.
 
A Astrologia que se pratica no Hemisfério Sul usa as mesmas datas que se usa no Hemisfério Norte para se definir as influências astrais, mas essas datas não correspondem às nossas Estações e não podem, portanto, corresponder aos mesmos Signos.
 
A nossa Astrologia é Austral, oposta à Boreal.
 







FECHAR





Make your own free website on Tripod.com